Um natal horrível

Nunca aprendi a chorar. Não queria que ninguém me visse fraca, nem me ouvisse. Chorava quieta no banho, ou no quarto quando todos já haviam ido dormir. Acordava inchada, mal conseguindo abrir os olhos… mas era alergia, óculos escuros ajudavam a disfarçar.
Não queria que viessem “ah, como sofre essa menina” ou me dando mais motivos para me aborrecer ou entristecer.
Ainda quando tento chorar, fico com vergonha. Choro baixinho, pra mim. Não quero que outros se preocupem comigo ou pensem que é só eu exercendo a “drama queen” que existe em mim.
Vocês podem me ver chorando facilmente, mas não são por motivos concretos, muitas vezes vocês verão meus olhos mar-aguados, mas não é choro. Juro. Poucas pessoas já me viram chorando de verdade. Não sei se felicito vocês ou sei lá…
Minha cabeça dói, minha garganta não existe mais, minha boca e meu nariz são um só. Olhos ardem.

25/12/2014