Oração Notívaga

Aos demônios encarnados em nossos corpos, que clamam por mais uma noite eterna. Tu, que vens penetrar em minha alma e enlouquecer meu, febril, corpo suado e trêmulo, arfante de delirantes convulsões… Venha mais esta noite. Vens assombrar-me o espírito. Leve-me contigo, ó, meu amor. Faça de nós duas almas que buscam pelo prazer. Infecte-me com seus pudores devassos e cálidos e ternos e voluptuosos. Ó! E sim, traga-me o caos de metáforas e contradições embebidas na pura luxúria de seus modos.

Deitemo-nos sob as trevas, por mais mil noites, se assim o desejares… eu? Eu anseio por isso a cada era que passamos longe… ou juntos… ou, assim, como estamos. Sejamos, mais uma vez, aqueles demônios de tempos passados e futuros, aqueles que ninguém, jamais, desejaria conhecer, aqueles que todos desejam a presença. Aqueles que somos. 

Corpo | Alma

Como saber o que cada um pede?

É meu corpo que chama pela dança, por tintas e pelo palco? É minha alma que clama pela sensação que aquilo me causa? Que sensação é essa? É meu bem ou meu mal? É minha doença ou minha cura? É o que preciso? O que quero? O que quero, afinal?